Como organizar o estoque de moda íntima de sua loja

04/11/2020

Loja movimentada, vitrine arrumada e o caixa se movimentando. Muito do sucesso de uma loja de moda íntima pode ser percebido aos olhos de todos, mas existe uma parte que fica mais escondidinha que é extremamente importante para que tudo isso se transforme num ciclo contínuo de bons resultados: a gestão do estoque de moda íntima. O controle de qualidade dessa área tem alguns segredos importantes.

Muitos lojistas têm dúvida de como adequar o estoque ao tamanho do negócio, como entender e atender a demanda de clientes e como organizar e armazenar os produtos. A manutenção eficiente de um estoque de moda íntima passa pela implantação de processos e análises específicas. Tudo isso evita gastos imprevistos e acúmulo de peças sem saída.

Primeiro passo: organizar

Uma etapa muito importante é classificar os produtos que você vende. Você deve criar características e categorias para agrupar as peças, como tipo (calcinha, sutiã, conjuntos, produtos especiais como aqueles para amamentação, etc), tamanhos, cores (você pode agrupar tons similares) e tipos de tecido. Dessa forma, você vai agilizar a busca pelos itens solicitados pelo cliente.

Conhecer sua demanda

Com o estoque de moda íntima classificado, a organização dele passa pela análise dos processos de venda. Saber quanto será vendido de cada peça faz com que a negociação com os fornecedores seja mais eficiente. Da mesma forma, você vai saber quanto deve manter em estoque para que não falte e nem acumule produto. Para saber essa informação, tenha em mãos o histórico de suas vendas.

Além disso, você também pode analisar os produtos de maior valor agregado e com uma boa saída. Esses são os principais para se manter no estoque com uma margem de segurança maior. Você não vai querer perder uma boa venda pela falta do produto, certo?!

Reposição no estoque de moda íntima

Conhecendo a sua rotina de vendas, fica mais fácil planejar os momentos certos e mais vantajosos para fazer a reposição das peças. Para encontrar o melhor método, você deve avaliar alguns fatores como tempo de entrega, taxas por volume de produtos e o ritmo de saída das peças. Além disso, é preciso avaliar o espaço físico disponível para o estoque. Tudo isso vai ajudar a definir se o intervalo de reposição será maior ou menor.

O que pode ajudar a decidir o ritmo de reposição do seu estoque de moda íntima é a análise a partir do registro atento de toda movimentação. Por isso, crie processos internos de controle. Data de recebimento, inspeção, data da venda, quantidade de itens por categoria. São itens como esse que vão torná-lo mais consciente do fluxo da sua loja. Você pode usar uma planilha ou contratar softwares específicos para esse tipo de serviço.

Conheça nossos tecidos para moda íntima.

Escolhendo os fornecedores

O preço e a qualidade devem estar em equilíbrio na escolha dos fornecedores das suas peças de moda íntima. Por serem produtos com muitos detalhes e muitas vezes delicados, você deve conhecer até mesmo os tecidos que o seu fornecedor usa. Além de saber melhor a procedência, você pode conhecer as tecnologias aplicadas ao tecido e comunicar esse valor extra ao consumidor final. A Ramatex possui algumas linhas especialmente para a confecção de lingerie, são eles: fluxy, triunfo e compress.

Por último, faça periodicamente um inventário do estoque de moda íntima da sua loja. Essas auditorias vão garantir de que os registros em planilhas ou no sistema de controle estão condizentes com estoque físico.

Gostou das dicas? Então acompanhe o blog da Ramatex e fique por dentro de tudo!

04/11/2020

© 2021. Todos os direitos reservados.